sábado, agosto 21, 2010

Moska.



Dia desses o Moska esteve em Curitiba lançando seu novo CD "Muito Pouco", que aliás não sai do meu som de tão maravilhoso que é. Eu não tive como ir ao show, infelizmente, mas fiquei sabendo que teria um Papo Musical promovido pela Lumen FM nas Livrarias Curitiba do Shopping Palladium. Claro que eu não poderia perder.

E lá fomos nós, já meio atrasados, arrastando o Chico.
Pegamos um trânsito infernal e eu achei que não daria tempo. Chegamos esbaforidos e ele nem havia  chegado ainda pois ficou preso no trânsito também. Ufa! Já falei o quanto amo o trânsito curitibano? hehe.

Não tinha um lugar sequer e sentamos no chão, grudados no palco (ou seja: melhor do que a encomenda, pois veríamos a entrevista de pertinho).

Preciso dizer que foi maravilhoso?
Paulinho é daqueles artistas que impressionam pela simplicidade e simpatia. Gente como a gente no melhor sentido da palavra. Inteligentíssimo e cativante, faz jus às letras que escreve e canta. Passei a admirá-lo ainda mais depois de ouvi-lo "divagar" sobre filosofia, arte, fotografia e outros tantos assuntos entremeados por suas mágicas canções.


Moska se diz órfão quando uma música sua vai ser interpretada por outro artista, pois sente que aquela canção deixou de ser sua. Mas como se define primordialmente como compositor, também gosta de ouvir suas letras em outras vozes. É genial a maneira como ele se encanta pelas coisas belas e pela poesia de um modo geral. Em cada palavra sua tem um pouco de poesia e de encantamento pela arte como um todo. A fotografia também faz parte de sua vida e acredita que a mesma vicia (concordo plenamente com ele). Ele disse que na época em que fotografava banheiros por aí (aliás são fotos brilhantes e de uma poesia ímpar), ele escolhia o quarto pelo banheiro. Essa série teve início em New York, na época do atentando ao WTC, onde ele adquiriu sua primeira câmera digital e fotografou o quarto em que estava hospedado. E depois disso não conseguia parar, cada quarto era um novo experimento que culminou com uma exposição e o lançamento do disco "Tudo novo de novo".


Durante o papo, Moska tocou três músicas, duas do novo disco e uma famosa (que ele classificou de mais "breguinha"): "Muito Pouco" que eu amo e foi o meu último post, "Sinto Encanto" parceria dele com Zélia Duncan e a famosa "Pensando em Você". Só não foi perfeito porque ele não cantou "Seu Olhar" a minha preferida.

Depois da entrevista arriscamos esperar pra conseguir um autógrafo para o Chico. Já que estávamos ali que custava esperar um pouco e cumprimentá-lo pessoalmente, não é mesmo? E conseguimos!!! Ele ficou encantado pelo Chico e disse que está às portas de ser pai novamente (se é que já não nasceu seu rebento essa altura nasceu semana passada segundo o próprio Moska me confirmou via twitter, sigam-no @pmoska).

 Francisco encabulado!
E ele encantado com o nosso pimpolho.

Saí de lá com a certeza de que um grande artista deve ser, acima de tudo, generoso e acessível. E Moska consegue reunir todas essas qualidades.

Só uma palavra o define: Genial!

Fiquem agora com uma das músicas que ele tocou durante o Papo Musical, com a participação especial do Chico. As outras eu posto outro dia! (Não liguem a tremedeira da câmera, era muita emoção hehe).

Sinto Encanto:



É isso.
Related Posts with Thumbnails