quinta-feira, dezembro 29, 2011

Onde foi parar a menina?

E lá se vão alguns anos...
Revendo agendas e uma vida que não é mais minha percebo que passei muito tempo vivendo a vida dos outros. Deixei minha vida (e minhas coisas) estacionadas, guardadas no fundo de um baú escuro e fui viver a vida de outra pessoa. Não o culpo, eu escolhi isso. Fiz por vontade própria ou quem sabe por pura imaturidade, nunca saberei.

Fato é que estacionei planos, desejos, sonhos, metas, vontades e todo o resto por tempo demais.
Não consegui me ver em meio àqueles escritos.

Essa fui eu por tanto tempo? Onde eu estava realmente? Onde estavam minhas vontades, meus desejos, minha vida? Onde estavam meus sonhos, minhas metas? Onde estava eu?
Releio essas coisas e esses pensamentos e vejo que eu me deixei adormecer por um tempo. Talvez por isso hoje eu não consiga mais abrir mão das minhas prioridades, das minhas coisas. Talvez tenha passado tempo demais adormecida. E talvez, também, pelo tempo imenso em que fiquei assim, em coma, vivendo a vida de outra pessoa, hoje seja tão complicado recomeçar, retomar, realizar e viver a 'minha' vida.

Como um paciente que finalmente sai do coma sinto que estou acordando e me coloco na reabilitação. Dói recomeçar, tenho que dar um passo de cada vez embora o meu desejo seja fazer tudo ao mesmo tempo e recuperar o tempo perdido. Sair do coma é difícil, tenho que andar um dia de cada vez, subir degrau por degrau, exercitar os músculos que estavam adormecidos.

Eu sei que recomeçar é colocar também um ponto final naquilo que passou, parar de se lamentar pelo que não vivi (ou não tive coragem de viver) e começar do zero.

E embora a vontade seja de fazer o que não foi feito em décadas, o corpo não acompanha e tenho que me contentar com uma coisa de cada vez. Eu quero tudo e rápido, quero recuperar todo o tempo que fiquei em coma. Mas preciso me conformar que as coisas acontecem devagar, no seu próprio tempo.

Tenho a mesma pressa de uma criança diante do novo brinquedo mas sei que preciso da calma e da sabedoria de um ancião diante da vida.

Em 2011 saí do coma, acordei e revivi. Voltei a respirar sem aparelhos.
Em 2012 preciso aprender a caminhar passo a passo, dia a dia e reaprender a viver com minhas próprias pernas e por minha própria conta, sendo responsável por minhas atitudes e, principalmente, por minhas escolhas.

Como era de se esperar tenho medo do que está por vir. Principalmente porque além de mim tenho uma outra pessoinha que precisa e depende inteiramente dessas escolhas que farei. Sei que não tenho o direito de errar nessas escolhas porque ele depende delas também. Mas também sei que tenho inteligência e caráter para seguir em frente e conseguir fazer diferente.

Esse é só o primeiro passo de uma aventura que promete ser inesquecível.
Estou pronta.

saindo do coma...


PS: Escrevo à mão essas palavras numa dessas agendas que andavam perdidas do longínquo ano 2000. Escrevê-las ali no papel é também uma forma de registrar que a mudança está acontecendo.

PS2: E também porque algumas coisas ficam muito melhores no papel.

Related Posts with Thumbnails