quinta-feira, dezembro 30, 2010

Comprometa-se

É, e lá se vai mais um ano. Não sei se sentirei falta de 2010, mas com certeza sinto que poderia ter sido um ano melhor. Sempre tenho a sensação de que ficou faltando algo.

O ano novo se anuncia como uma página em branco, e só a nós cabe escrever o que será desse ano novinho em folha. Cabe a nós redesenhar um ano melhor, fazer o que precisamos fazer, correr atrás das coisas que nos são essenciais. Cabe a nós fazer desse novo ano um ano de realizações e conquistas.

Olho para 2011 e tento preencher seus dias como se fossem linhas, frases e parágrafos.
Escrever essas linhas com poesia e música, decorar a página com corações e estrelas.
Para que em seu último dia eu possa olhar para trás e reler uma linda história escrita.

Aos votos que todos fazemos, um pouco por costume, outro tanto por tradição, falta-nos talvez um pouco de comprometimento de nossa parte de fazer com que o ano que se anuncia seja realmente um ano bom.

E é esse comprometimento que eu pretendo ter para que 2011 seja realmente um ano feliz e próspero.


Comprometa-se a fazer do seu ano novo um ano bom!

Só depende de você.

quarta-feira, dezembro 22, 2010

Quando fui chuva

Sabe quando uma música diz tudo sobre o seu momento?
Pois é, descobri "Quando fui Chuva" ontem.
E estou apaixonada por ela.
Essa sou eu, cantada por eles.
Poderia ter escrito essa letra, se eu fosse capaz.



Quando Fui Chuva

Composição: Luis Kiari e Caio Soh

Quando já não tinha espaço, pequena fui
Onde a vida me cabia apertada
Em um canto qualquer,
Acomodei minha dança, os meu traços de chuva
E o que é estar em paz
Pra ser minha e assim ser tua

Quando já não procurava mais
Pude enfim nos olhos teus, vestidos d'água,
Me atirar tranquila daqui
Lavar os degraus, os sonhos, as calçadas

E, assim, no teu corpo eu fui chuva
... jeito bom de se encontrar!
E, assim, no teu gosto eu fui chuva
... jeito bom de se deixar viver!

Nada do que fui me veste agora
Sou toda gota, que escorre livre pelo rosto
E só sossega quando encontra tua boca

E, mesmo que eu te me perca,
Nunca mais serei aquela que se fez seca
Vendo a vida passar pela janela


É isso.

sexta-feira, dezembro 17, 2010

Quando tudo está perdido, sempre existe um caminho.

Às vezes, quando você menos espera a vida te mostra que ainda há um caminho.
Mesmo que você acredite que nada tem sentido, você consegue enxergar uma luz no fim do túnel.
É uma luz fraquinha, mas ela já existe.

Caí da cama cedo, tive sonhos estranhos, interessantes.
E enxerguei uma luz fraquinha.
Ainda não sei o caminho e nem sei se vou saber tão cedo.
Mas já é alguma coisa.

Bom dia de chuva pra todos...



"Eu fiquei maluca, por flor tenho loucura."
É isso.

sexta-feira, dezembro 10, 2010

Tem dias que só com Legião



Vento no Litoral

De tarde quero descansar
Chegar até a praia e ver
Se o vento ainda esta forte
E vai ser bom subir nas pedras
Sei que faço isso pra esquecer
Eu deixo a onda me acertar
E o vento vai levando
Tudo embora...
Agora está tão longe
ver a linha do horizonte me distrai
Dos nossos planos é que tenho mais saudade
Quando olhávamos juntos
Na mesma direção
Aonde está você agora
Alem de aqui dentro de mim...
Agimos certo sem querer
Foi só o tempo que errou
Vai ser difícil sem você
Porque você esta comigo
O tempo todo
E quando vejo o mar
Existe algo que diz
Que a vida continua
E se entregar é uma bobagem...
Já que você não está aqui
O que posso fazer
É cuidar de mim
Quero ser feliz ao menos,
Lembra que o plano
Era ficarmos bem...
Olha só o que eu achei
Cavalos-marinhos...
Sei que faço isso
Pra esquecer
Eu deixo a onda me acertar
E o vento vai levando
Tudo embora...
 
 
 
Preciso dizer mais?
é isso.

quinta-feira, dezembro 02, 2010

E lá se vão 14 anos...

Acabei de ler um texto incrível da Clarissa Passos que tem tudo a ver com o dia de hoje.
A única diferença do texto é que eu queria que fosse 96.


Hoje eu acordei nostálgica,
com vontade de ter 17,
de ter de volta os amigos de 17,
e também as preocupações que eu tinha com 17.
A prova final, o vestibular
e todos os sonhos que ainda tinha pra realizar.
Vontade de ter toda a vida pela frente.
De sair sem rumo pra andar.
Vontade de colocar Legião
e sair dançando pela casa
"como se não houvesse amanhã, 
porque se você parar pra pensar 
na verdade não há"...
Saudades daquele tempo
onde a maior preocupação
era tirar uma boa nota e
encontrar os amigos pra um violão
e mais legião, sempre legião.

É, infelizmente eu não tenho mais 17.
E não estamos em 1996.
O tempo voa.
E hoje eu me dei conta de que os anos se passaram
e eu nem sequer os vi passar.

será que ainda tenho tempo de realizar
os sonhos que eu tinha com 17?





domingo, novembro 14, 2010

Sonhei que a neve fervia...

Elaboro o luto de maneira diferente da maioria das pessoas.
Me recolho, choro sozinha, no banho, tento esconder o que sinto.
E escrevo.

Mas ontem nem isso consegui.

Desde sexta tenho sentido muito o vazio, a sensação de estar sozinha. Um aperto no peito, lembrança de que no ano passado tinha mil confusões e sentimentos nesse período. A iminência de que não teria mais sua presença, mas ao mesmo tempo o desejo de que você não sofresse mais. Contraditórios sentimentos que me faziam orar para que o melhor para você acontecesse. E foi com essa certeza que eu me despedi de você naquela sexta 13 de novembro.

Mal sabia naquele dia o que sentiria hoje, passados um ano da sua ausência.

Muita coisa mudou, eu mudei. Não sei se pra melhor, nunca saberei. Mas a verdade absoluta é que hoje sinto-me muito sozinha em meio a um mundo de pessoas. Você era meu chão, meu centro, minhas certezas de que mesmo com tudo ruindo, tínhamos uma a outra, mãe.

Hoje não tenho você, não tenho ninguém.
Ninguém pra rir comigo, pra chorar comigo, pra vibrar com minhas vitórias, pra me segurar em minhas derrotas e, mais importante de tudo, pra me fazer ver o caminho certo a seguir.
Tenho que escolher, decidir, vibrar, sorrir e chorar sozinha.
Ah, como sinto sua falta. Ainda posso sentir a sua presença e sua força. Sei que nunca vai me abandonar mas mesmo assim dói.

Tô crescendo na marra e à força. Mas to sem chão, mãezinha.

Tenho esperança que tudo isso mude, mas no momento não dá.
Não sei como ser e como estar. Só queria ter você aqui ainda.
Sinto tua falta. Dói e eu não consigo chorar.




"My heart is drenched in wine
But You'll be on my mind
Forever..."
 

segunda-feira, novembro 01, 2010

Brasil, mostra a tua cara.

É triste ver que ainda temos muito a avançar nesse país.

Ontem vimos claramente a divisão do Brasil ao meio.
A eleição foi vencida justamente onde se tem menos condições, menos educação, menos comida, menos tudo. E não quero dizer com isso que o Sul é mais e melhor do que o Norte e Nordeste, como muitos disseram em diversos lugares. Acho que tal discurso separatista não é o que precisamos no momento. Só constatamos com essa eleição que SIM somos um país de miseráveis, de desigualdades imensas, de fome, de injustiças. Onde se faz muito pouco pela educação e pela cultura e se faz muito pelo assistencialismo barato.

Não acredito que com os tais "bolsas" alguma coisa resolvemos a questão. Devemos sim, dar condições para que não sejam necessários esse tipo de programa, já que todos têm o mínimo para viver com dignidade. E sabemos muito bem que nesse país é possível isso acontecer, basta ter vontade política para tal. Coisa que falta (e muito) no atual governo e quem sabe também faltará no próximo.

Espero do fundo do coração que eu esteja completamente enganada com essa afirmação. E quiçá eu venha me retratar aqui e mudar esse discurso. Mas no momento não acredito que fizemos um bom negócio.

E como dizia Cazuza: "Brasil, mostra a tua cara quero ver quem paga pra gente ficar assim"...

sexta-feira, outubro 15, 2010

Don´t Wait Too Long

Ontem assisti "Comer, Rezar, Amar" com uma amiga.
Sabe aquele dia típico de Luluzinhas? Pois é, foi exatamente isso. Delícia esse tipo de programa, deixa a gente com vontade de quero mais. Tirar um dia pros amigos, um dia pra rir, chorar com um filme, tomar um café ou esperar meia hora por um sundae horroroso (never more, né cumadi?). Valeu cada segundo.

Fazia tempo que eu não ía ao cinema e estava ansiosa pra ver esse filme. E esse é o filme pra ver com as amigas. Sabe aquele filme mulherzinha? Pois é! O universo feminino exposto em todos os segundos e em seus mínimos detalhes.
Já tinha lido o livro e me surpreendido com a Liz Gilbert e seu jeito delicioso de expor exatamente o que eu estou sentindo.

E o filme superou às minhas expectativas. Julia Roberts está divina no papel principal, a fotografia do filme é linda, as situações inusitadas e deliciosas, as amigas maravilhosas que falam tuuudo o que a gente precisa ouvir na hora certa.Um roteiro muito bem feito à altura das palavras de Liz Gilbert. Simplesmente AMEI. E quero mais. Vou assistir novamente para captar todas as mensagens que o filme passa, pois muita coisa ficou no ar.

E hoje acordei pensando no filme e em tudo o que eu vi e li. Daí lembrei dessa música maravilhosa da Madeleine Peyroux. Acho que complementa o que o filme fala.
E como diz a Julia, ou melhor a Liz - I need to change!

Aprecie sem moderação!




Ah! O trailer do filme para você ficar com vontade:



É isso.

segunda-feira, setembro 13, 2010

Sobre o vazio.

Hoje acordei com o vazio mais presente.
Um vazio enorme, gigante, sem fim.
Um vazio na alma e na essência.

Hoje faz 10 meses que minha mãe se foi desse planeta e pra mim parece que não se passou um dia sequer, tamanha é a presença dela em minha vida. A baixinha mais gigante que eu conheci na vida.

Hoje me sinto ainda mais pequena. Tentando crescer na marra sem tua presença. Tentando ser mulher, mãe, amiga. Tentando existir, simplesmente. Ah mãe, tô tão perdida sem você.

Sinto falta de tudo, do colo, dos carinhos, do café no meio da tarde, do bolinho de chuva, da banana frita com farofa, da sopa de feijão. Sinto falta das broncas e da doçura com que você cuidava de mim, dos meus amigos, do meu filho. De você me falando: "Juízo, filha." toda vez que eu saía de casa. E de você me ligar querendo saber onde eu estava e se eu ía demorar. Sinto falta de poder ligar pra casa e você atender. De ouvir tua voz. Você foi o melhor exemplo que eu poderia ter na vida.

Sinto tanta falta de você, mãezinha. Queria ter mais uma chance de dizer o quanto eu te amo e o quanto você foi, e ainda é, o meu exemplo e a minha segurança na vida. Você não tem ideia do tanto que está fazendo falta em minha vida, nesse momento.

Naquele 13 de Novembro eu consegui forças pra cantar pra você essa música, que um dia você achou linda. E hoje eu a coloco novamente aqui, pra te homenagear mais uma vez.




Te amo, eternamente.

quarta-feira, setembro 08, 2010

sábado, agosto 21, 2010

Moska.



Dia desses o Moska esteve em Curitiba lançando seu novo CD "Muito Pouco", que aliás não sai do meu som de tão maravilhoso que é. Eu não tive como ir ao show, infelizmente, mas fiquei sabendo que teria um Papo Musical promovido pela Lumen FM nas Livrarias Curitiba do Shopping Palladium. Claro que eu não poderia perder.

E lá fomos nós, já meio atrasados, arrastando o Chico.
Pegamos um trânsito infernal e eu achei que não daria tempo. Chegamos esbaforidos e ele nem havia  chegado ainda pois ficou preso no trânsito também. Ufa! Já falei o quanto amo o trânsito curitibano? hehe.

Não tinha um lugar sequer e sentamos no chão, grudados no palco (ou seja: melhor do que a encomenda, pois veríamos a entrevista de pertinho).

Preciso dizer que foi maravilhoso?
Paulinho é daqueles artistas que impressionam pela simplicidade e simpatia. Gente como a gente no melhor sentido da palavra. Inteligentíssimo e cativante, faz jus às letras que escreve e canta. Passei a admirá-lo ainda mais depois de ouvi-lo "divagar" sobre filosofia, arte, fotografia e outros tantos assuntos entremeados por suas mágicas canções.


Moska se diz órfão quando uma música sua vai ser interpretada por outro artista, pois sente que aquela canção deixou de ser sua. Mas como se define primordialmente como compositor, também gosta de ouvir suas letras em outras vozes. É genial a maneira como ele se encanta pelas coisas belas e pela poesia de um modo geral. Em cada palavra sua tem um pouco de poesia e de encantamento pela arte como um todo. A fotografia também faz parte de sua vida e acredita que a mesma vicia (concordo plenamente com ele). Ele disse que na época em que fotografava banheiros por aí (aliás são fotos brilhantes e de uma poesia ímpar), ele escolhia o quarto pelo banheiro. Essa série teve início em New York, na época do atentando ao WTC, onde ele adquiriu sua primeira câmera digital e fotografou o quarto em que estava hospedado. E depois disso não conseguia parar, cada quarto era um novo experimento que culminou com uma exposição e o lançamento do disco "Tudo novo de novo".


Durante o papo, Moska tocou três músicas, duas do novo disco e uma famosa (que ele classificou de mais "breguinha"): "Muito Pouco" que eu amo e foi o meu último post, "Sinto Encanto" parceria dele com Zélia Duncan e a famosa "Pensando em Você". Só não foi perfeito porque ele não cantou "Seu Olhar" a minha preferida.

Depois da entrevista arriscamos esperar pra conseguir um autógrafo para o Chico. Já que estávamos ali que custava esperar um pouco e cumprimentá-lo pessoalmente, não é mesmo? E conseguimos!!! Ele ficou encantado pelo Chico e disse que está às portas de ser pai novamente (se é que já não nasceu seu rebento essa altura nasceu semana passada segundo o próprio Moska me confirmou via twitter, sigam-no @pmoska).

 Francisco encabulado!
E ele encantado com o nosso pimpolho.

Saí de lá com a certeza de que um grande artista deve ser, acima de tudo, generoso e acessível. E Moska consegue reunir todas essas qualidades.

Só uma palavra o define: Genial!

Fiquem agora com uma das músicas que ele tocou durante o Papo Musical, com a participação especial do Chico. As outras eu posto outro dia! (Não liguem a tremedeira da câmera, era muita emoção hehe).

Sinto Encanto:



É isso.

domingo, julho 04, 2010

Muito Pouco

Pronto, agora que voltou tudo ao normal
Talvez você consiga ser menos rei, e um pouco mais real.
Esqueça, as horas nunca andam para trás
Todo dia é dia de aprender um pouco do muito que a vida traz

Mas muito pra mim é tão pouco e pouco é um pouco demais
Viver tá me deixando louco não sei mais do que sou capaz.
Gritando pra não ficar louco. Em guerra lutando por paz.
Muito pra mim é tão pouco e pouco eu não quero mais.

Chega, não me condene pelo seu penar.
Pesos e medidas não servem pra ninguém poder nos comparar.
Porque eu não pertenço ao mesmo lugar.
Em que você se afunda tão raso não dá nem pra tentar te salvar.

Porque muito pra mim é tão pouco, e pouco é um pouco demais
Viver tá me deixando louco, não sei mais do que sou capaz.
Gritando pra não ficar louco, em guerra lutando por paz.
Muito pra mim é tão pouco, e pouco eu não quero.

Veja, a qualidade está inferior.
E não é a quantidade que faz a estrutura de um grande amor
Simplesmente seja, o que vc julgar ser o melhor.
Mas lembre-se que tudo que começa com muito pode acabar muito pior.

Mas muito pra mim é tão pouco e pouco é um pouco demais
Viver tá me deixando louco, não sei mais do que sou capaz.
Gritando pra não ficar louco, em guerra lutando por paz.
Muito pra mim é tão pouco e pouco eu não quero mais.
Não quero mais. Não quero mais.



Paulinho Moska diz tudo. Precisa mais?

segunda-feira, junho 21, 2010

Silêncio.

Silêncio,
Quando as palavras já não fazem sentido.
Silêncio,
Quando o sentido perde-se das palavras.
Silêncio,
Quando o mundo parece estar todo errado.

Simplesmente silencie.


Vou mergulhar no meu silêncio e ver se encontro o meu rumo.





"Hoje eu quero apenas, uma pausa de mil compassos..."

sexta-feira, junho 18, 2010

Como encontrar um sentido no meio da bagunça?

Há alguns dias que ando dentro de casa e vejo que tá tudo errado. Brinquedo espalhado, roupa em todo lugar, escritório bagunçado. E tenho me sentido perdida no meio disso tudo. Vejo simplesmente que não tem como encontrar um sentido no meio de tanta bagunça: seja interna ou externa! Minha vida está uma bagunça no momento.

Acordei com a sensação de que tinha que mudar algumas coisas pra que a vida entrasse novamente em prumo. Então tirei uns dias pra colocar minha vida em ordem e percebi o quanto acumulo coisas desnecessárias, quinquilharias, velharias, papéis inúteis, objetos quebrados, objetos que não fazem mais nenhum sentido.
Percebi o quanto minhas coisas estão jogadas, deixadas ao acaso. As realmente importantes estão perdidas no meio de tanta coisa inútil. E como é difícil se livrar de velhos hábitos e de velhas coisas.
Tenho percebido que isso é uma constante na minha vida.

Em outros campos também tem ocorrido muito isso.
E é um tal de energia estagnada em diversos sentidos da vida.

Comecei a tirar objetos das gavetas, coisas que eu sequer sabia que existiam. Sinal de que não fazem falta!
Aos poucos vejo minha casa tomando um novo rumo, e com ela minha vida também (espero!). Percebo que raramente tenho conseguido chegar ao fim de nada nesses meus longos anos de existência. Acumulo coisas que não uso, roupas que não gosto e projetos que não termino. Deixo tudo pela metade e sinto que minha vida está um pouco pela metade.

Preciso urgentemente chegar ao fim de alguma coisa para poder finalmente olhar pra trás e ter certeza de dever cumprido (ou de pelo menos ter dado um primeiro passo).

Apesar da bagunça que está por aqui (tem coisa espalhada por onde o olhar alcança) sinto que estou pela primeira vez no caminho. Talvez no meu caminho. Ou quem sabe a caminho!

Mas sinto pela primeira vez o gostinho de projetar algo e concretizar. Sensação maravilhosa!

Estou me sentindo muito bem. Com vontade de realizar coisas grandes.

Espero conseguir!

Se não consegue encontrar o rumo, consulte sua bússola interior. Com certeza vai encontrar um jeito de mudar o curso da sua história.

sábado, junho 12, 2010

Gosto mais do mundo quando posso olhar pra ele com vc!

Dia dos Namorados hoje.
Eu não sou muito ligada em datas pois acredito que elas são um tanto quanto comerciais nos dias atuais. Fica a cobrança pelo presente e, sinceramente, presente por presente pra mim não tem o menor sentido. Por isso raramente comemoramos essa data por aqui com presentes. Não que eu ache ruim quem o faça, mas simplesmente não faz parte da nossa história.
Acredito muito no amor, amo estar apaixonada, mas acredito que não é preciso uma data específica para que demonstremos ao outro o quanto ele é importante.
E também acho que devemos fazer dos dias comuns dias especiais, sem motivo, sem razão, simplesmente pelo fato de que deu vontade de fazer algo especial para a pessoa amada. Uma flor, o bombom preferido no meio da tarde ou simplesmente uma xícara de café quando você está atolado de trabalho são gestos, pequenos detalhes que demonstram o quanto somos importantes para o outro.

Falando desse jeito pode parecer que não sou romântica. Mas eu sou extremamente romântica, até melosa demais às vezes, confesso! E pra provar que o romantismo também faz parte do meu vocabulário, deixo-os com um de meus sonetos preferidos e uma música que faz parte da minha história com meu eterno namorado.

XX, te amo.
Feliz Dia dos Namorados!


Soneto de Fidelidade - Vinicius de Moraes

De tudo, ao meu amor serei atento
Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto
Que mesmo em face do maior encanto
Dele se encante mais meu pensamento

Quero vivê-lo em cada vão momento
E em seu louvor hei de espalhar meu canto
E rir meu riso e derramar meu pranto
Ao seu pesar ou seu contentamento

E assim quando mais tarde me procure
Quem sabe a morte, angústia de quem vive
Quem sabe a solidão, fim de quem ama

Eu possa me dizer do amor (que tive):
Que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dure

quarta-feira, junho 09, 2010

Saudade grande que aperta o peito.



"Desde o dia em que eu perdi minha mãe
Eu me perdi de mim também
Perdi no mundo o que era o mundo meu
- minha mãe

E eu não sei o que sou sem ela
Só sei que ela me deixou
Por que ela me deixou?
Por que ela me deixou?
Ela me deixou

Nesse dia, o dia em que eu perdi minha mãe
Eu me dei conta que eu estava só por minha conta".


Não tenho muitas palavras pra explicar o que sinto no dia de hoje. 
Só sei que sinto um vazio gigante dentro do peito. 
Vontade de deitar no teu colo, de te dar um abraço, te beijar.
Vontade de ter você por perto, mãe.

Feliz aniversário. Te amo pra sempre. 

Sinto demais a tua falta!


domingo, junho 06, 2010

Pra vc guardei o amor

Há 13 anos atrás nos reencontramos, passados 6 meses em que nos vimos pela primeira vez.
Nos reencontramos numa fria manhã ensolarada, exatamente igual a essa de hoje.
Numa peça de teatro, não poderia ser diferente.
Há 13 anos atrás nossas vidas se cruzaram por algum motivo.
Há 13 anos atrás você sem razão se atrasou para levar sua filha à creche. E para sua surpresa havia teatro na praça, no lugar mais improvável do mundo.
Há 13 anos atrás o destino nos colocou frente a frente, não sabíamos bem como ou por que.
Hoje eu sei, vendo nos olhos de nosso filho a força desse amor.
Nem sempre foi fácil, nem sempre foi bom. Houve de tudo nesse período. Houve muito drama, como não haveria de ter, né?
Mas houve amor, houve alegria, houve muita cumplicidade também.
Passamos por grandes perdas, sobrevivemos a elas pois estamos juntos e somos um.
Há 13 anos atrás eu te encontrei e te encontro nesse tempo dia a dia. Todos os dias.
Somos tão diferentes, mas isso nos faz tentar ser melhor para completar o outro. Temos inúmeros defeitos que às vezes magoam o outro. Deus como temos defeito!
Mas temos muito mais virtudes e no fim das contas acho que fazemos bem um ao outro.
Você me faz bem. Você me dá força e certeza pra continuar. Mesmo quando parece que não vai dar certo.
Obrigada por existir há 13 anos na minha vida, obrigada por deixar a minha história mais colorida e mais alegre. Obrigada por fazer parte do meu destino. Obrigada por nosso filho lindo.
"Pra você guardei o amor que nunca soube dar".

Pra você guardei o meu amor.
Te amo hoje e para sempre.
Feliz aniversário.
tua xgotinha.


Pra Você Guardei o Amor
Nando Reis


Pra você guardei o amor
Que nunca soube dar
O amor que tive e vi sem me deixar
Sentir sem conseguir provar
Sem entregar
E repartir

Pra você guardei o amor
Que sempre quis mostrar
O amor que vive em mim vem visitar
Sorrir, vem colorir solar
Vem esquentar
E permitir

Quem acolher o que ele tem e traz
Quem entender o que ele diz
No giz do gesto o jeito pronto
Do piscar dos cílios
Que o convite do silêncio
Exibe em cada olhar

Guardei
Sem ter porque
Nem por razão
Ou coisa outra qualquer
Além de não saber como fazer
Pra ter um jeito meu de me mostrar

Achei
Vendo em você
E explicação
Nenhuma isso requer
Se o coração bater forte e arder
No fogo o gelo vai queimar

Pra você guardei o amor
Que aprendi vendo meus pais
O amor que tive e recebi
E hoje posso dar livre e feliz
Céu cheiro e ar na cor que arco-íris
Risca ao levitar

Vou nascer de novo
Lápis, edifício, tevere, ponte
Desenhar no seu quadril
Meus lábios beijam signos feito sinos
Trilho a infância, terço o berço
Do seu lar

Guardei
Sem ter porque
Nem por razão
Ou coisa outra qualquer
Além de não saber como fazer
Pra ter um jeito meu de me mostrar

Achei
Vendo em você
E explicação
Nenhuma isso requer
Se o coração bater forte e arder
No fogo o gelo vai queimar

Pra você guardei o amor
Que nunca soube dar
O amor que tive e vi sem me deixar
Sentir sem conseguir provar
Sem entregar
E repartir

Quem acolher o que ele tem e traz
Quem entender o que ele diz
No giz do gesto o jeito pronto
Do piscar dos cílios
Que o convite do silêncio
Exibe em cada olhar

Guardei
Sem ter porque
Nem por razão
Ou coisa outra qualquer
Além de não saber como fazer
Pra ter um jeito meu de me mostrar

Achei
Vendo em você
E explicação
Nenhuma isso requer
Se o coração bater forte e arder
No fogo o gelo vai queimar

sexta-feira, junho 04, 2010

Tem dias.

Tem dias que você sabe que está tudo bem, ou que um dia ficará tudo bem.
Tem dias que você acorda e tem certeza das incertezas da vida.
Tem dias que tudo conspira a seu favor.
Tem dias que você vai remando e continua, mesmo com uma baita correnteza te empurrando de volta.
Tem dias que tudo à sua volta te mostra o quanto é bom viver.
Tem dias que você se sente inspirado.
Tem dias que você se sente amado.
Tem dias que você tem certeza que os amigos e as pessoas importantes estão ao seu lado.
Tem dias que você se sente feliz até com a chuva caindo lá fora.


Hoje não é esse dia.

"Já não tenho dedos pra contar, de quantos barrancos despenquei.
E quantas pedras me atiraram, ou quantas atirei.
Tanta farpa, tanta mentira.
Tanta falta do que dizer.
Nem sempre é so easy se viver!"
Lulu perfect.







terça-feira, maio 11, 2010

Dia das Mães: a filha



Domingo foi Dia das Mães, e eu me enrolei o dia todo pra escrever algo. Não saiu nada. Nenhuma linha.
Bom, esse foi um dia das mães diferente pra mim e em função disso vou escrever dois post de diferentes ângulos, aqui na visão de filha e em homenagem à minha mãezinha, e no Conversa pra Mãe Dormir escrevo como mãe.
Aproveite e comente nas duas postagens, ok?



Domingo me recolhi com meu filhote e fiquei quieta no meu canto. Convite não faltou, de todos os lados, para almoçar aqui ou ali. Mas esse ano eu não estava comemorando, apesar de ser meu dia também. Esse ano eu queria me recolher, ficar quietinha no meu canto, lembrar de todos os nosso momentos, de você, da sua alegria de viver e da falta que me faz a tua presença, mãe. Foi o meu primeiro Dia das Mães sem você por perto. Foi difícil não escolher um presente, não te fazer uma surpresa, não te escrever uma cartinha que seja e te ver lendo emocionada minhas singelas palavras, como em todos os anos anteriores. E em função disso, resolvi colocar aqui a minha homenagem pra você. Eu sei que você esteve e estará sempre presente em minha vida. E sei também que onde quer que você esteja está recebendo esse carinho que te faço agora.

Falar da minha mãe é falar de uma mulher guerreira, batalhadora, gentil e sobretudo amiga pra todas as horas. Ela era assim, pequena no tamanho, mas gigante na alma e na grandeza de espírito. Uma pessoa iluminada, um coração gigante onde cabia sempre mais um. E apesar de ter somente me parido, foi mãe de um mundo de gente, pois todos que a conheciam se encantavam, e usavam e abusavam de seu colo.

Muitas vezes, durante minha adolescência, minhas amigas íam em minha casa pra conversar e pedir conselhos pra ela. E ela tinha sempre algo de bom pra passar e ensinar. Nem sempre passando a mão na cabeça, pois a baixinha quando tinha que falar algo, era na lata, sem rodeios. Mas de uma doçura que fazia todo mundo se apaixonar.

Essa mulher lutou muito, foi uma costureira de mão cheia, fazia roupas para as grã-finas de São Paulo viajarem pela Europa e só não ficou rica porque não sabia cobrar, não colocava preço na sua arte. Era detalhista e exigente, não suportava ver uma vitrine com uma roupa amassada ou uma costura enrugada. Esse era o seu grande diferencial.

Lá pelos idos dos anos 70, minha tia, irmã dela, foi pra São Paulo fazer faculdade. Minha mãe teve receio de deixá-la sozinha e se mandou junto. Ela era assim, se entregava e abdicava das suas coisas pelos outros. Claro que estar em São Paulo naquele tempo abriu muitas portas pra ela, e ela conseguiu muitas freguesas ricas para costurar. Nesse mesmo período conheceu meu pai. Os dois tentaram um filho por uns dois anos, mas ela não engravidava. Quando desistiu pois achava que já era tarde (ela tinha então 41 anos) eu cheguei. Mas o sonho da família perfeita estava longe de se concretizar, cinco dias após o meu nascimento meu pai faleceu, teve um ataque cardíaco fulminante. E aquela mulher estava sozinha mais uma vez, só que agora com um bebê de dias pra cuidar e sem salário fixo ou qualquer benefício já que trabalhava por conta.

Sem poder trabalhar em função da cesárea e por ter que cuidar de mim, ela dependeu um pouco da ajuda da família e dos amigos que fez, pois meu pai era autônomo e não deixou pensão nenhuma pra ela. E assim que as coisas se acalmaram eu fui pra creche e ela começou a ralar na máquina. Varava dias e noites costurando pra nos sustentar. E nunca me faltou nada, apesar da simplicidade que sempre vivemos.

Quando eu tinha 12 anos, ela adoeceu. Uma artrite-reumatóide que deformou suas mãos e pés e a deixou praticamente de cama nos primeiros anos, e claro, sem poder costurar mais. Eu passei então a ser um pouco mãe dela, cuidava da comida, da roupa, ajudava-a a tomar banho. E apesar das dores que ela sentia, não reclamava nunca.

Quem a conheceu sabe o exemplo de mulher que ela sempre foi. Me sinto mal em reclamar de uma dorzinha que seja depois de presenciar todos esses anos que ela sentia dores terríveis e tava sempre rindo, brincando, e com uma força indescritível.

Mãe, eu sempre soube e valorizei a mãe que tive, que abdicou da sua vida por mim e me criou com tanta força. Mas hoje sofro por não ter feito mais por você. Sofro pelas vezes que brigamos, que eu te respondi algo de modo agressivo, que eu não soube interpretar nos teus olhos o que você estava sentindo. Você que sempre esteve pronta pra me dar apoio, colo, carinho. Eu sei que fui uma boa filha, mas você merecia que eu fosse a melhor filha do mundo. Saiba que te amo muito e que sinto tua falta todos os dias. Ontem lembrei de tantas histórias, de tantas coisas. Hoje tava vendo um vídeo no nosso paçoquinha em que ele fala com o pai, e fiquei culpada de não ter filmado você, no vídeo só posso ouvir sua voz e eu deveria ter te filmado, registrado pra sempre aquele momento tão delicioso de ver nosso pimpolho crescendo. Chorei sim, chorei muito quando ouvi tua voz hoje, pois eu sei que nunca mais vou poder voltar naquele dia, um mês antes de você partir.

Obrigada por tudo o que você foi e fez por mim. Obrigada pela vida, pela educação que me deu. Obrigada pelo exemplo que você sempre foi pra mim.
Te amo muito, muito, muito. Sinto a sua falta.

 (minha mãe Nilza, eu e o Chico - no dia que ela conheceu o neto)

um beijo, da tua filha...
Pilar


segunda-feira, abril 26, 2010

Campanha Mais Teatro Brasil!! Participe você também!

Semana passada ficamos sabendo dessa campanha importantíssima para o Brasil pelo @Alessandro_M do blog Livros e Afins e claro, eu não poderia ficar de fora.

Então aqui estou eu para contribuir com a blogagem coletiva em favor da Campanha Mais Teatro Brasil!






O Objetivo da Campanha:
Colher o maior número de assinaturas possível para dar entrada, junto ao Congresso Nacional, num Projeto de Lei de Iniciativa Popular, para que seja obrigatória a construção de um "Centro Integrado de Cultura" em cada município, cuja população seja superior a 25 mil habitantes.

A ideia central é permitir que populações inteiras, que nunca tiveram contato com espetáculos de qualidade, ou mesmo espaços destinados à arte e à cultura passem a ter acesso as mais diversas formas de expressão artístico-culturais, fomentando e desenvolvendo entre estas populações, um hábito tão fundamental para a formação do caráter de um povo, como a cultura!

Esses Centros Integrados de Cultura incluem não só palcos teatrais, mas também outras manifestações culturais e artísticas como salas de cinema, bibliotecas, espaços para a exibição de palestras, organização de oficinas e cursos, e etc. Ficou curioso? Leia mais sobre a situação da produção cultural no Brasil e sobre os Centros Integrados de Cultura aqui.

Trabalho na GGProarte há 13 anos e nesse período já presenciei muitas coisas. Viajei pelo interior do país, dormi em uma cidade diferente por dia, em um hotel diferente a cada noite. Meu guarda-roupa foi uma mala e uma frasqueira por muito tempo. Pegávamos a estrada diariamente para chegar à próxima cidade e realizar nosso trabalho. Presenciei o encantamento de crianças, jovens, adultos e idosos com a figura dos atores em cena (e fora dela). O encantamento com o cenário e com os figurinos. A sensação de poder falar com o artista de perto. A maioria do nosso público nunca teve acesso à espetáculos teatrais. Mas sempre tivemos a certeza que, ao seguirmos nosso caminho no dia seguinte, havíamos plantado uma sementinha em seus corações e mudado ao menos um pouquinho a sua realidade.

Como trabalhadores que somos da cultura brasileira, viajantes e guerreiros da estrada, conhecemos a realidade do interior do país como ninguém e sabemos da dificuldade que é apresentar nosso trabalho para essa população. São raras as cidades que possuem um local apropriado para apresentações culturais e na maioria das vezes reina o improviso: apresentar teatro em ginásios de esportes, salões paroquiais e até mesmo em refeitórios. A Companhia segue dessa forma há mais de 26 anos de estrada, percorrendo as mais diversas regiões do país, desde o Rio Grande do Sul à Amazônia. E resistimos bravamente quase que na raça, pois acreditamos que é um trabalho muito importante.

Por onde passamos é muito comum encontrarmos pessoas que estão participando de uma peça teatral pela primeira vez e o encantamento que o teatro leva às suas vidas é de emocionar. Em uma oportunidade uma senhora de 75 anos disse ter sido a melhor coisa que aconteceu em sua vida participar de uma apresentação ao vivo, ter o contato com os atores, com a história vivida por eles.

Você sabia que 95% de toda população brasileira nunca estiveram em um teatro?

Você sabia que apenas 16% dos municípios brasileiros têm salas de espetáculos? E isso, levando-se em conta salas com apenas 50 assentos e sem o mínimo de estrutura?

Infelizmente essa é ainda a realidade da grande maioria da população brasileira que não tem acesso à manifestações culturais, seja por falta de dinheiro, seja por falta de espaços para que tais manifestações ocorram perto de suas residências. A possibilidade de uma lei que modifique essa realidade é muito importante.

E em função de conhecer na pele a realidade das cidades do interior é que apoiamos integralmente uma Campanha como essa. É preciso que a sociedade lute para que a cultura chegue a todos, sem exceções! E possibilitar o acesso à ela é de fundamental importância.

Para conhecer mais sobre a Campanha Mais Teatro Brasil, clique aqui.



Mais Teatro, Brasil!
Faça a diferença, porque, afinal: O Teatro é Nosso!


Eu dou a Maior Força!
E você? 

Onde encontrar mais informações:

quarta-feira, abril 21, 2010

Tá difícil ser eu sem reclamar de tudo.

Ah, tem dias que as palavras fogem e você não sabe o que dizer.
Ainda bem que existem aqueles que dizem o que é preciso ser dito.
Tá tudo aí.
Apreciem sem moderação.



Nuvem Negra
Djavan


Não adianta me ver sorrir
Espelho meu
Meu riso é seu
Eu estou ilha ... da
Hoje não ligo a TV
Nem mesmo pra ver o Jô
Não vou sair
Se ligarem não estou
À manhã que vem
Nem bom-dia eu vou dar
Se chegar alguém
A me pedir um favor
Eu não sei

Tá difícil ser eu
Sem reclamar de tu ...do
Passa nuvem negra
Larga o dia
E vê se leva o mal
Que me arrasou
Pra que não faça sofrer mais ninguém
Esse amor que é raro
E é preciso
Pra nos levantar
Me derrubou
nao sabe parar de crescer
e doer

sexta-feira, abril 09, 2010

Nasceu hoje mais uma estrela.

Num dia frio, tipicamente curitibano, acordei e fiquei sabendo que o Ivo do Blindagem havia partido.
E Curitiba hoje ficou um pouco mais triste.


Conheci o Blindagem há 13 anos, quando conheci o Gel e passei a admirar esse vocalista de voz rouca e forte. Hoje uma de suas canções sempre embala nossas festas. E é com ela que venho aqui hoje me despedir do Ivo.

E nasce hoje mais uma estrela.

Blindagem - N�o posso ver
Found at abmp3 search engine

quarta-feira, março 31, 2010

Quero um dia para chorar.

Quero um dia para chorar.
Um dia somente. Um dia entre tantos.
Para se entregar, não tentar ser forte ou guerreira.
Ser simplesmente humana.
Chorar, sofrer, permitir-se.

Quero um dia para chorar.
Por todas as dores do mundo, dos outros.
E por todas as minhas dores,
Trinta e um anos de dores contidas.

Quero um dia somente para poder ser plena.
Sem disfarces, sem máscaras, sem tentar mostrar que está tudo bem.
quando não está.

Quero me esconder do mundo e sofrer tudo, até o último minuto, o último instante.
E depois, então, secar as lágrimas e continuar.

"Por que se você parar pra pensar, a verdade não há!" Renato Russo.

sábado, março 06, 2010

E os dias vão passando...

Dias estranhos.
Tenho passado muito tempo pensando na vida e nas coisas da vida e pouco tempo realmente vivendo.
È engraçado como as coisas acontecem e vem acontecendo ultimamente.
Tento escrever, meu teclado pira e começa a trocar as letras, pontos, frases.
E quando penso em desistir, tudo volta ao normal. Estranho.

Será um sinal? Talvez deva parar por aqui e continuar somente pensando.
Não sei.

Ando sonhando pouco, acordando no meio da noite, dormindo pesado.
Ando com sono, muito sono.

A verdade é que estou à procura de um sentido pra tudo. E no momento, não estou encontrando.
Enquanto isso, deixo as palavras sairem livremente, mesmo que sem sentido.
Talvez essa enxurrada de palavras me tragam de volta à realidade e deixem a confusão da minha cabeça um pouco menos embaralhada.
Talvez não.

Enquanto a criatividade não volta e a inspiração é curta, ando me inspirando com a criatividade alheia. Quem dera eu tivesse metade dessa criatividade...

Se inspirem também...



A letra dessa música diz umas verdades, talvez as minhas verdades.

.É isso.

segunda-feira, fevereiro 01, 2010

Quando eu estiver triste, simplesmente me abrace.

 Hoje eu acordei pensando na brevidade da vida. Como os dias e anos passam voando e nós sequer sentimos que tudo tem um fim.
Aniversário pra mim é sempre um dia de colocar os pensamentos em dia e o pensamento da vez do dia de hoje é: o quanto é breve a vida para nos preocuparmos com coisas pequenas.

E apesar de tudo e de todos os muitos amigos presentes e todo o carinho que tenho recebido desde que acordei, hoje me sinto só, sem chão. Meu primeiro aniversário sem o teu abraço, mãe. E sim, eu to sentindo muito isso.

Mas vai passar e eu vou continuar.
Te devo essa, por tudo o que você foi. Essa grande mulher, forte e guerreira que me ensinou que NADA pode nos abater ou nos fazer desistir de continuar. Você conseguiu seguir sua vida apesar de tudo o que passou, apesar de ficar sozinha no momento mais importante da sua vida.

E eu vou conseguir também, por você.

"VIDA LOUCA VIDA, VIDA BREVE. JÁ QUE EU NÃO POSSO TE LEVAR, QUERO QUE VOCÊ ME LEVE!" Cazuza



.É isso.

quinta-feira, janeiro 28, 2010

Ah, Leminski!

















Precisa dizer mais?

.Últimos dias.

Novas ideias vão surgindo, a cabeça anda cheia de coisas.
Vou fazendo e refazendo tudo ao mesmo tempo: projetos, ideias, organização, metas.
Esse ano me propus ser mais organizada com minhas coisas, e tenho tentado colocar em prática tal meta. Tarefa difícil para essa aquariana que vive no mundo da lua.

E no meio disso tudo, meus últimos dias com 30.
Faço 31 num Dia Palíndromo ou Capicua.









Mas qual o significado disso? Bom, segundo algumas coisas que eu encontrei na internet:

Palíndromo é uma palavra, frase ou qualquer outra sequência de unidades que tenha a propriedade de poder ser lida tanto da direita para a esquerda como da esquerda para a direita – e para esta “leitura especial” são desconsiderados sinais ortográficos e o espaços entre palavras
Segundo a wikipedia, citando um “veterano palindromista brasileiro” (Rômulo Marinho) seriam três tipos:
  • Expliciti – trazem sempre uma mensagem direta, clara e inteligível, como “Socorram-me, subi no ônibus em Marrocos” (palíndromo de autoria anônima, provavelmente o mais conhecido em língua portuguesa).
  • Interpretabiles – têm coerência, mas requerem esforço intelectual do leitor para serem entendidos, como “A Rita, sobre vovô, verbos atira.”
  • Insensati – cuidam apenas de juntar letras ou palavras sem se preocupar com o sentido, como “Olé! Maracujá, caju, caramelo.”

Mas a verdade é que pra mim é mais um aniversário, o de 31.
Mais experiência, mais responsabilidade, ou seja: mais velha.
Ainda to tentando entender se isso é bom ou ruim.

Que os bons ventos dos "trinta e um" tragam, além de umas ruguinhas a mais, um pouco de tudo o que eu ainda espero conseguir.

Talvez o "palíndromo day" seja um bom presságio do que há de vir por aí.
Tomara.

.É isso.

domingo, janeiro 17, 2010

.Eu Te Amo.



Composição: Antonio Carlos Jobim, Chico Buarque
 
Ah, se já perdemos a noção da hora
Se juntos já jogamos tudo fora
Me conta agora como hei de partir
Se, ao te conhecer, dei pra sonhar, fiz tantos desvarios
Rompi com o mundo, queimei meus navios
Me diz pra onde é que inda posso ir
Se nós, nas travessuras das noites eternas
Já confundimos tanto as nossas pernas
Diz com que pernas eu devo seguir
Se entornaste a nossa sorte pelo chão
Se na bagunça do teu coração
Meu sangue errou de veia e se perdeu
Como, se na desordem do armário embutido
Meu paletó enlaça o teu vestido
E o meu sapato inda pisa no teu
Como, se nos amamos feito dois pagãos
teus seios inda estão nas minhas mãos
Me explica com que cara eu vou sair
Não, acho que estás te fazendo de tonta
Te dei meus olhos pra tomares conta
Agora conta como hei de partir

sexta-feira, janeiro 01, 2010

Finalmente 2010!

É, lá se foi o pior ano da minha vida.
Tchau 2009!








Não sentirei a menor falta desse ano que passou, e de todos os "perrengues" que enfrentamos.
Engraçado como em todo dia 1º de Janeiro a gente tem expectativas e planos mil para o ano que se inicia. Mas no fundo não faz a menor ideia de como ele vai se desenrolar no decorrer dos meses. Foi um ano de luta, de doença, de gripe e cancelamentos.

Foi um ano de adeus.

Mas, como em todo primeiro dia do ano novo hoje posso renovar as energias e os desejos para um ano melhor.

Com 2009 deixo todos os medos e frustrações. Deixo a dor, a saudade, o vazio que a morte de um ente querido deixa no peito. Deixo também todos os erros cometidos, os enganos, a preguiça e a falta de comprometimento. Deixo os amigos que se foram, deixo a saudade e tudo o que ela pode trazer.

E que venha 2010, novinho em folha. Pronto para ser um ano repleto de conquistas e realizações.

Desejo que todos consigam alcançar suas metas e que possamos mudar o mundo que estamos vivendo com pequenas atitudes.

Que possamos olhar para o próximo e reconhecer quando alguém necessitar de um ombro amigo.
Que possamos dividir o que temos e mudar um pouco a realidade do outro.
Que sejamos capazes de amar incondicionalmente todo o ser humano, conhecido ou não.
Que possamos ser melhores em todos os sentidos e criar uma realidade diferente para nossos filhos e os filhos deles, pois um mundo melhor depende do que realizamos, pensamos e desejamos hoje.
Então vamos agir rumo a uma realidade mais feliz para as futuras gerações.

Só depende de nós.

"Não deixe para amanhã o que pode fazer hoje. A vós confio!"
Aprenda a olhar para o lado, ser menos egoísta e mais humano. Faça pelo outro o mesmo que quer para si. Essa é a grande lição.
Com pequenas atitudes podemos transformar o mundo.
Atitude!

Um feliz 2010 a todos!

.É isso.
Posted by Picasa
Related Posts with Thumbnails