quinta-feira, março 26, 2009

.24 horas.

Ando precisando de dias mais longos ultimamente. É tanta coisa pra fazer, tanta coisa pra organizar, pra pensar que eu não sei mais como me dividir.
Parece que as horas andam escapando por entre meus dedos. Pisco e puf, já era, lá se vai mais um dia.
Entre mil e um afazeres, preocupações, trabalho, faculdade , Francisco, tudo o que tenho pra fazer, 24 horas não bastam. Preciso de umas 35 ou 36 pelo menos. E ainda tem os períodos de comer, banho, roupa pra lavar, casa pra limpar, brincar com o Chico. Carambaaaa!!!

Podiam inventar uma máquina de clonagem de mãe, seria perfeito. Em dias como hoje, em que a única coisa prazerosa de fazer era brincar com o meu filhote, eu entraria nessa máquina e clonaria uma outra de mim, novinha em folha só pra fazer as coisas chatas que não podiam ser adiadas. Perfeito.
E enquanto a minha clone trabalhava, costurava, passava fax, mandava email, fazia almoço, lavava louça; eu estaria totalmente livre pra deitar e rolar com o Chico no tapete da sala, explorando novos lugares, novas sensações, novas palavras e outras tantas coisas deliciosas de se fazer.

Tô cansada.
.É isso.

quinta-feira, março 19, 2009

.11 meses.


FRANCISCO TERRA - Hoje é o dia dele! Meu pequeno faz 11 meses.
Eu posso dizer que foram os melhores e mais trabalhosos 11 meses da minha vida.
Você pode me perguntar: é fácil ser mãe? E eu respondo: NÃO. É uma entrega que você tem que estar preparada pra fazer, há 11 meses que eu vivo para ele e por ele. Mas também é uma sensação maravilhosa.
Estou feliz por ter esperado para engravidar. Ter filho com 30 anos te traz uma tranquilidade e uma segurança. Eu não sei como seria se fosse mais nova. Agora as prioridades são outras e tudo o que se relaciona a ele é um prazer.
Claro que nem tudo são flores, os primeiros meses foram dureza. Acordar várias vezes durante a noite, cólicas e adaptação. Agora que essa fase passou eu digo: UFA! Mas vê-lo sorrir e descobrir o mundo, vê-lo aprontar e fazer suas malcriações, sua personalidade forte é muito recompensador.
Reconheço no Francisco alguns de meus defeitos, mas também muitas virtudes. E nessa miscelânea de genes meus e do pai dele, acredito que geramos um ser especial, em todos os sentidos. Ele será um grande homem, eu tenho certeza disso. Uma pessoa do bem e que fará grandes coisas pelo próximo.

Hoje é o dia de comemorar: sua vida e sua existência na minha vida. Não consigo mais imaginar minha vida sem a sua presença.

Filho, você é a melhor coisa que aconteceu na minha vida.
Mamãe te ama muito!
.É isso.

Uma das músicas que você adora.

terça-feira, março 17, 2009

.10 coisas que não saem da cabeça.




Você gosta de fazer listas?

Eu gosto. Tô sempre listando os mais mais da minha vida!
Então hoje pensei num post das "10 coisas que nunca saem da minha cabeça", é estranho colocar no papel só os 10 mais importantes, pois nos últimos tempos ando com tanta coisa na cabeça. Mas vou tentar.

Então lá vai:

1º FRANCISCO TERRA - esse não precisa nem explicar né? Tem que ser o primeirão! hehe
2º GEL - outro que não precisa de explicação, tá na mente, no coração.
3º Mamy - ela é mais do que especial, uma lição de vida.
4º VENTO NO LITORAL - RENATO RUSSO - essa música é totalmente especial pra mim. Estará SEMPRE na cabeça e no coração.
5º Amigos queridos - são poucos, mas moram no meu coração.
6º "O Fabuloso Destino de Amélie Poulan"- amo esse filme.
7º Meus bichos de estimação: os vivos e os que já se foram. Lembro de todos com muito carinho e saudade.
8º Fotografia, fotografia,fotografia.
9º Livros, livros, livros - Não posso passar por uma livraria, tenho que me controlar pra não comprar tudo.
10º Blogs diversos - leio muita coisa pela internet, mas adoouuuro os blogs pessoais. É uma literatura mais pura, sem convenção, sem regras. O autor fala o que pensa, se mostra inteiro. Alguns blogs que mais frequento estão listados nos preferidos aqui do lado, confira!

É isso.

Te proponho a listar suas 10 coisas que não saem da cabeça. Topa?

quinta-feira, março 12, 2009

.vitrine.



Dois mestres quando se juntam dá nisso.

.Bléh.

Ai ai
Ultimamente ando com uma preguiça de entrar em discussão! Pago pra ficar quieta no meu canto, de bico fechado e cara de paisagem.
E não é que bem quando eu decido que não vou tentar mudar o mundo com mil ideias mirabolantes, as pessoas insistem em aparecer com um monte de questões e questionamentos sobre o funcionamento das coisas? Por que será?
Ando um pouco de saco cheio de tudo. Principalmente de política e do que é certo ou errado.
Antes eu pagava por uma boa discussão, ou pra colocar meu peito à bala sobre minhas opiniões sobre este ou aquele assunto.
Mas, bléh! Cansei.
Se você acha que eu estou errada sobre isso ou aquilo, paciência! É só a sua opinião. Isso não vai fazer eu mudar meu jeito de pensar ou agir.
Eu to com preguiça de ter que responder sobre o que eu falei ou deixei de falar. Não entro na casa de ninguém questionando o que a pessoa disse ou deixou de dizer. Quando deixo um comentário sobre algum post, não é pra questionar o ponto de vista das pessoas.
Então porque diabos que sempre tentam questionar meus pontos de vista?

Aff... cansei de ser diplomática.

Quer deixar um comentário sobre meu post? Ótimo. Vou adorar responder pra você sobre isso ou aquilo. Mas por favor, não me questione ou diga que estou errada. Posso até estar mesmo, mas eu não vou ficar tentando mostrar meu ponto de vista pra você. Ok?

Estamos acertados?


Então, é isso.

terça-feira, março 10, 2009

.Em branco.

Hoje me deparei com uma folha em branco. Parada no estacionamento, esperando o momento de fazer minha prova, peguei o papel pra tentar escrever. Algumas vezes sinto vontade de escrever em momentos assim, me acalma, faz bem. Parece que nesses lugares mais inusitados é que surgem bons textos. Mas hoje, não. Hoje só o que consegui foi o vazio.
Na mente um turbilhão de coisas para preencher a folha, mas nada saía. Nenhuma linha sequer.

NADA.

As palavras estavam ali na minha frente, na minha cabeça, mas minhas mãos não conseguiam reproduzir o que a cabeça mandava. Me senti perdida nesse turbilhão de ideias e sensações.
Há alguns dias isso tem me acontecido frequentemente. Uma necessidade latente de escrever, quase como um jeito de respirar diante de tanta coisa que tem acontecido.
Mas nada.
Nenhuma linha.
Silêncio.
Vazio.

Saiu isso. É isso.

"Eu não sei se ela agora está fora de si, ou se é o estilo de uma grande dama".
Chico Buarque



.
Related Posts with Thumbnails