domingo, abril 05, 2009

.Grandes ideias, grandes mudanças.

Lendo hoje a revista Nova Escola, edição 221 - Abril 2009 me deparei com uma matéria que me chamou a atenção primeiramente pela foto: um menino sentado no meio fio, com uma caixinha de bala do lado e lendo um livro.

Hã? Você entendeu certo, isso mesmo. Lendo um livro. E a matéria do jornalista Rodrigo Ratier "Vale mais que um trocado", foi uma ideia e ao mesmo uma pesquisa. O jornalista recheou uma caixa de papelão com os mais variados títulos, desde clássicos como "Auto da Barca do Inferno" de Gil Vicente até livros infantis como Divina Albertina de Christine Davenier. Depois saiu pelas ruas de São Paulo carregando aquela caixa no banco do carona. Até então tudo certo. Mas o que ele fez passeando pela cidade é que foi totalmente inusitado, a cada sinaleiro que ele parava e um ambulante, ou malabarista, ou vendedor de bala que se aproximava pra vender seu produto ele oferecia um livro. E pra grande surpresa como ele mesmo cita, em 13 oferecimentos nenhuma recusa, ao contrário, alguns até pediram mais.

Achei a ideia genial. E mostra que o brasileiro quer ler, só não tem acesso aos livros. Ou por que é muito caro (e convenhamos os livros estão cada dia mais caros, você deixa uns belos trocados numa livraria) ou por que não tem o hábito de consumir literatura. E o que pode-se observar pela matéria é que todos os que se aproximaram e levaram seus livros ao invés de vender seus produtos, saíram felizes e satisfeitos com sua nova aquisição e sentavam no mesmo instante para aproveitar a novidade. Ele conta de uma mãe com sua filhinha que pediu um infantil e ele conseguiu observar pelo retrovisor que a mesma sentou no meio fio e começou a ler para a criança.

Eu me emociono com histórias desse tipo, de luta, de superação, de desejo de mudar a realidade. O povo brasileiro é tão carente de iniciativas desse tipo. Parece que nos acomodamos com a situação, e não mais nos sentimos incomodados se encontramos um outro ser humano em pior situação, dormindo na rua, ou vendendo coisas no sinal. Quase sempre nos fechamos dentro do carro por medo da violência urbana que está presente e é um reflexo da falta de vontade política para mudar a realidade do povo brasileiro. É comum passarmos por uma pessoa dormindo na rua como se ela não estivesse ali, ou como se fosse a cena mais normal do mundo. Eu não consigo fechar os olhos para esse tipo de cena, fico mal, me incomodo, tenho vontade de mudar a realidade dessas pessoas. Claro que a gente acaba seguindo em frente, pois está com pressa pra chegar no compromisso, ou porque o horário do estacionamento está para vencer.

Mas a verdade é que meu coração fica pequeno, apertadinho, com um nó.
E quando leio coisas como essa, e vejo que tem gente tentando fazer a sua parte me dá uma sensação de que nem tudo está perdido. Tem os que entregam os livros, mas tem também os que estão lá ávidos por recebê-los. Quando vejo uma iniciativa como essa sendo realizada acredito mais no ser humano, mais na sua força de vontade, mais na esperança de mudar a realidade atual. E enquanto o mundo fala de crise e pensa em crise, vejo que tem gente tendo esperança e compartilhando o que tem com o próximo.

Parabéns ao jornalista, parabéns à Revista Nova Escola e parabéns principalmente aos novos leitores, que eles aproveitem a oportunidade.
E citando o jornalista: A cada livro oferecido em vez de esmola, um leitor descoberto.

Eu aplaudo a iniciativa.

.É isso.

7 comentários:

Mauricio Yorinobu disse...

Parabéns moça!!!
primeira vez que leio seu blog, achei seu texto fantástico, lerei seu posts anteriores.

Gostei da idéia, mas não creio que todas as pessoas que ganham livros se entusiasmam tanto(farei este teste). Acredito que muitos estão nos semaforos pedindo esmola não por falta de dinheiro apenas,mas também por falta de cultura(costume de trabalhar), vejo muitas criancinhas que estão lá porque seus pais estão lá também e são muito novas, sendo assim, acredito que estas crianças não desenvolverão força de vontade, por terem nascido nisso e nunca terem feito outra coisa, se acomodarão nesta função. (visão bem pessimista né...)

Olha só moça, tenho um blog também, faz 1 mês mais ou menos.. entra lá se der =) beijos!
www.msegredodouniverso.blogspot.com

Alessandra Pilar disse...

Olá Maurício,
Muito obrigada pela visita e pelo comentário. Concordo que nem todas as pessoas que ganham livros se entusiasmam, mas será que é culpa delas? Não sei, o hábito da leitura se adquire com o tempo, e a cada novo livro lido. Por isso a importância de se incentivar desde cedo a leitura. Eu continuo acreditando que atitudes dessa ordem podem sim mudar alguma coisa, mesmo que a mudança seja bem pequena. Já é um começo, não?
Obrigada pela visita, vou lá no teu blog com certeza. Depois comento.
Abraços

Panda disse...

Pois é... eu sempre fui contra dar esmola e levava no carro bom-bom, chocolate, roupas e outros cacarecos pra situações como estas. Uma vez vi uma menininha olhando pra fivela do meu cabelo, tirei e dei pra ela. Essas pessoas são carentes, e um mimo vale muito mais do que alguns centavos. E nunca tinha pensado nos livros.
E livro custa caro, sim, mas tem um monte de edições baratas. Hoje vc compra clássicos por 10 pila. E um monte de sebos com livro a 1 real. O que falta mesmo é a cultura de leitura. Mas iniciativas como estas podem certamente mudar este quadro!!!
bjos

ian lokin disse...

muito bacana mesmo!

Regina d'Ávila disse...

Fiquei emocionada..realmente é maravilhoso...
É nesta hora que penso que devo fazer algo também..
Espero me iluminar um dia e ser como este jornalista..não para fazer uma matéria, o que é lindo de qualquer maneira, mas simplesmente para deixar algo no mundo de bom.
Bjssssssss
Regina.

pro alinezilli disse...

oi prima!!
adorei seu blog!
realmente, a atitude do jornalista foi muito bacana. Mas acho que acabamos contribuindo um pouquinho tb para o mundo no dia-a-dia... tu com teu trabalho, levando a cultura a todos; eu como professora, incentivando a leitura... e assim vai! Feliz de todos aqueles que se preocupam, de alguma maneira, com o crescimento do próximo.
Façamos a nossa parte!
beijocas!

Alessandra Pilar disse...

Panda,
Eu também não tinha pensado em livro. Mas achei uma boa ideia. E precisamos de mais ideias boas como essa não é mesmo? bjos

Ian, que bom que apareceu. Venha mais vezes.

Oi Rê,
É de emocionar mesmo, né? E pelo que eu vi dos teus trabalhos e tua arte, você já está fazendo algo minha querida. Obrigada pela visita.

Prima, que bom que veio e que gostou!!! Venha mais vezes! Seu blog já tá linkado nos favoritos do "Achados". Precisamos sim de atitudes como essa pra mudar a realidade atual. E tenho certeza que de uma forma ou de outra conseguimos fazer algo pelo próximo. Um bjão!

Related Posts with Thumbnails